Av. John Kennedy, 150 - Ed. Center Shopping, Sala 215
Centro - Araruama/RJ - CEP: 28970-000

Ilário de Amorim Machado CRC/RJ 103072/O-8
Pedro Afonso Messias Bastos CRC/RJ 125979/O-4

  • (22) 2665-7435
  • (22) 98134-6339
  • (21) 99927-8884
  • (22) 98823-0280
  • (22) 99898-4283

Mais do que prestação de serviços...

Uma parceria!

Instabilidade política deve ser a vilã da inflação em 2018

De acordo com Alencar Burti, presidente da ACSP e Facesp, as expectativas em torno das eleições terão um papel importantíssimo no cenário econômico

Alencar Burti, presidente da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), comenta sobre a inflação oficial de 2017, a menor dos últimos 19 anos, conforme divulgou hoje (10/1) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

“O Banco Central conseguiu pôr em prática uma admirável política de reversão da inflação a partir do manejo correto da taxa básica de juros, melhorando a economia como um todo. E essa política foi ajudada pela safra agrícola recorde, que permitiu a derrubada dos preços dos alimentos”.

Burti, que também preside a Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp), comenta que em 2018 os juros deverão continuar baixos, ajudando a controlar os preços, o que estimula as vendas de bens duráveis de maior valor como móveis, eletrodomésticos, veículos e material de construção. Estas foram, inclusive, as áreas mais prejudicadas pela recessão.

A perspectiva do presidente da ACSP é de que, embora em 2018 a inflação não fique abaixo do piso da meta, fique abaixo do centro (4,5%). “A nova política de preços da Petrobras deve continuar sendo um dos focos da inflação. Já a safra agrícola vai ser boa, mas os alimentos deverão perder a deflação registrada ao longo de todo 2017”, analisa.

Entretanto, ele alerta que a maior vilã da inflação neste ano será a instabilidade política, que poderá pôr em risco o andamento das reformas e gerar reflexos na taxa de câmbio. “As expectativas em torno das eleições terão um papel importantíssimo no cenário econômico”.

Atendimento via CHAT